Saltar para o conteúdo

Warcraft - O Primeiro Encontro de Dois Mundos

(Warcraft, 2016)
6,4
Média
136 votos
?
Sua nota
Direção
Roteiro:
Duncan Jones (roteiro), Charles Leavitt (roteiro), Chris Metzen (argumento)
Gênero:
,
Origem:
, ,
Estreia:
02/06/2016
Duração:
123 minutos

Lupas (17)

  • Não é que não é tão ruim? Podia se esforçar mais pra não alienar tanto o público médio que não conhece Warcraft. O problema dele, diferente do que muitos afirmaram, não está nos clichês de fantasia que o próprio jogo já possuía, nem nos personagens rasos, mas na tentativa patética de dar profundidade psicológica às caricaturas. Em outras palavras: Sobrou gravitas, exposição desnecessária e obsessão com fotorrealismo. Faltou avacalhação, senso de diversão e bom humor.

    Jules | Em 21 de Janeiro de 2020 | NOTA: 5.0
  • Historinha bonitinha, mas chata, lindos gráficos, deu vontade de jogar World of Warcraft, a temática não me atrai muito...

    Rosana de Almeida Machado | Em 06 de Julho de 2019 | NOTA: 8.0
  • Não esperava muito desse filme, e nem conheço o jogo, mas acredito que decepcionou um pouco os fãs...

    Sandro Pimentel Martins | Em 23 de Novembro de 2018 | NOTA: 6.5
  • Um esforço técnico incomensurável em busca da diferenciação deste para com tantos outros 'épicos'. Falha justamente por isso. A diferença está longe de ser tecnológica. Está nos sentidos da unidade filmada, mas ninguém em 'Warcraft' lembrou disso.

    Douglas Rodrigues de Oliveira | Em 15 de Maio de 2018 | NOTA: 4.0
  • A hype foi grande demais, o filme decepcionou. Meio atropelado e forçado em alguns momentos.

    Cássio Fassbender Bartz | Em 06 de Janeiro de 2018 | NOTA: 6.0
  • Com roteiro conciso, planos à Hitchcock e imagens que remetem ao jogo, Duncan Jones consegue agradar gregos e troianos. Ter alguns personagens pouco desenvolvidos, não é problema; defeito é a pobre performance dramática de Travis Fimmel.

    Renato Abbt Keppe | Em 30 de Dezembro de 2017 | NOTA: 7.0
  • Warcraft não é para qualquer um. São requisitos para a tarefa ter aguentado o terceiro filme de Senhor dos Anéis e ter acompanhado sem dormir a arrastada trilogia Hobbit. Mas quem não é fanático –ou seja, gente normal– só enxergará um novo Senhor dos Anéi

    Edward Jagger DeLarge | Em 10 de Abril de 2017 | NOTA: 5.0
  • Aventura divertida, excelente ambientação medieval e uma grande homenagem ao universo RPG - desníveis de raças, ataques combinados, magos modificando atributos e arrasando campos inimigos... Legal demais. Que venha um monte.

    Adriano Augusto dos Santos | Em 02 de Abril de 2017 | NOTA: 9.0
  • Ótimo filme.

    Eduardo Gomes Beserra | Em 21 de Outubro de 2016 | NOTA: 9.5
  • Diferente dos últimos títulos de jogos de computador adaptados para o cinema, este cumpre sua missão de entreter enquanto conta uma história com começo, meio e final consistentes. As batalhas são emocionantes.

    Gabriel Fagundes | Em 19 de Outubro de 2016 | NOTA: 6.0
  • Casting muito fraco.

    Vinícius Barbosa | Em 29 de Agosto de 2016 | NOTA: 5.0
  • As subtramas e personagens são desenvolvidos sem a menor paciência ou cuidado para interessar a quem não conhece os games, em um filme bonito visualmente, mas absurdamente apático. Os games continuam sem um bom representante no cinema.

    Bruno Cavalcanti | Em 20 de Agosto de 2016 | NOTA: 5.5
  • Razoavel

    Lucas Moreira | Em 07 de Agosto de 2016 | NOTA: 6.5
  • Lida bem com as tramas paralelas, apresenta eficientemente seu universo sem ser didático e Jones não sai picotando suas cenas de ação - esse Warcraft é uma surpresa interessante. Mas Paula Patton é ruinzinha mesmo, hein, meldels.

    Augusto Barbosa | Em 19 de Junho de 2016 | NOTA: 6.0
  • Peso leve de fantasia.

    Lucas da Costa Simão | Em 10 de Junho de 2016 | NOTA: 6.0
  • O universo e a maioria de seus conceitos despertam interesse, mas o filme, em si, é narrativamente muito apressado, de modo que a empatia com os personagens e o impacto das situações são diminuídos. Longe de ser ótimo, mas dá vontade de ver o próximo.

    Felipe Lima | Em 07 de Junho de 2016 | NOTA: 6.0
  • Oscila muito entre momentos lúcidos (e que dão esperança de que superará as expectativas) e narrativamente tronchos (incluindo personagens sem alma), resultando num filme inconsistente. Apenas mais um blockbuster de verão - no caso do Brasil, de inverno.

    Kennedy | Em 05 de Junho de 2016 | NOTA: 6.5